Home / Notícias / Os vegetais contra os males cardiovasculares

Os vegetais contra os males cardiovasculares

o universo da nutrição o verde é a cor do momento. Mas não qualquer tipo de verde. Estamos falando daquele que tinge as hortaliças folhosas, como alface, rúcula e agrião. “Há cada vez mais evidências de que comer esses vegetais nos protege contra males cardiovasculares”, afirma Andrew Murray, professor de fisiologia da Universidade de Cambridge, no Reino Unido. Para o especialista, o trunfo desses alimentos é a sua oferta de uma substância conhecida como nitrato.

Controle da pressão

Em uma de suas experiências, Murray notou que doses moderadas do tal nitrato ajudam a afinar o sangue de cobaias. Isso porque, entre outras coisas, ele baixa a concentração de células vermelhas na corrente sanguínea, diminuindo a probabilidade de ela ficar viscosa demais. Assim evita problemas de fluxo que podem culminar em enfartos, derrames…

Segundo o cardiologista Marcus Bolívar Malachias, presidente eleito da Sociedade Brasileira de Cardiologia, o grande motivo por trás da afeição do nitrato pelo sistema cardiovascular é sua capacidade de estimular a liberação de moléculas de óxido nítrico, um potente vasodilatador. Bem supridas de óxido nítrico, as artérias ficam relaxadas e, sem aperto, a pressão não sobe.

Ajuda no emagrecimento

Em outra pesquisa com ratinhos, Murray e sua equipe descobriram que a substância dos vegetais verdes transforma as células brancas do tecido adiposo em beges. “São as brancas que estocam gordura”, informa o fisiologista. E, quanto mais se deposita banha dentro delas, mais pavimentado é o caminho rumo à obesidade, ao diabete e (de novo!) aos problemas cardiovasculares).

Só que, uma vez convertidas em beges, essas unidades passam a se comportar como as células marrons, exterminadoras de gordura. “Ter uma pequena quantidade dessas células mais escuras já ajuda no processo de emagrecimento”, avisa o endocrinologista Bruno Halpern, da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. Resta saber se o nitrato se comportará da mesma maneira no corpo humano ? uma questão que Murray pretende esclarecer em breve.

Combate à diabete

Em uma revisão imensa, com mais de 3 mil trabalhos sobre o consumo de vegetais verdes, a pesquisadora Patrice Carter, da Universidade de Leicester, na Inglaterra, percebeu que quem comia pouco mais de uma porção de folhas por dia tinha um risco 14% menor de encarar o diabete tipo 2. “Há uma infinidade de mecanismos possíveis para explicar tal relação”, diz. As hortaliças são cheias de antioxidantes como o betacaroteno e a vitamina C, além de magnésio e ácido alfalinolênico, uma versão de ômega-3. “E o nitrato é mais um elemento com potencial para justificar esse efeito”, afirma a pesquisadora.

Fonte: M de Mulher

Veja também

Aprovado em 1ª votação, Projeto de Lei visa legalização de construções irregulares

Foi aprovado, por unanimidade, na Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Sorocaba, Projeto de Lei ...

Deixe uma resposta