Home / Notícias / Lei que proíbe o uso de canudos plásticos é sancionada em Sorocaba

Lei que proíbe o uso de canudos plásticos é sancionada em Sorocaba

Na edição desta quinta-feira (01) do Jornal do Município, o prefeito de Sorocaba, José Crespo, sancionou a lei nº 11.826/2018, de autoria do vereador Fernando Dini (MDB) que proíbe a utilização de canudos feitos de plástico, exceto os biodegradáveis, em restaurantes, bares, quiosques, ambulantes, hotéis e similares autorizados pela prefeitura e a fornecerem canudos de papel biodegradável e/ou reciclável individual e hermeticamente embalados com material semelhante. O prazo para adequação é de agosto de 2019.

Com a nova lei, os canudos alternativos devem ser fornecidos apenas se houver a solicitação do cliente, sendo proibida a entrega espontânea e a exposição de livre acesso. “O comércio também deverá ter disponível canudos plástico biodegradáveis, que serão disponibilizados apenas às pessoas com deficiência que necessitem dele para alimentação.

O descumprimento da lei acarreta em advertência e intimação para cessar a irregularidade, na primeira autuação. Na segunda, multa no valor de 120 Ufesps (R$ 3.084,00). Na terceira autuação, multa no dobro do valor da primeira autuação e assim sucessivamente.

O parlamentar ressalta que o principal objetivo do Projeto de lei é de reduzir a quantidade de lixo que se acumula em aterros sanitários, beneficiando a preservação e proteção do meio ambiente. “Segundo dados científicos, os danos ambientais são irreparáveis e os canudos plásticos têm tempo mínimo de 100 anos para sua decomposição”, explica.

Quando descartados, esse material se desintegra em pequenas partículas que chegam aos oceanos e acaba engolido pelos animais. “Um vídeo que está circulando nas redes sociais, de biólogos retirando um canudo de dentro da narina de uma tartaruga marinha, na Costa Rica, talvez seja o símbolo máximo do prejuízo desse pequeno objeto para o ecossistema”, ressalta Dini.

O parlamentar ainda lembra que, em 2017, 13,5% do total do lixo brasileiro era plástico e, nos Estados Unidos, são consumidos cerca de 500 milhões de canudos por dia. “Precisamos conscientizar as pessoas como descartar esses objetos e buscar por novas tecnologias biodegradáveis.”

Alternativas – Em meio à busca por alternativas ao plástico, outras opções já vêm sendo usadas, como canudos de papel, metálico, bambu, vidro e até comestíveis. “Na Espanha, por exemplo, um grupo de amigos criou um canudo comestível, biodegradável e reciclável. Feito de açúcar, gelatina bovina e amido de milho, ele pode vir aromatizado em sete sabores diferentes (limão, lima, morango, canela, maçã verde, chocolate e gengibre) mas, segundo seus inventores, não altera o gosto da bebida”, finaliza.

Veja também

Aprovado em 1ª votação, Projeto de Lei visa legalização de construções irregulares

Foi aprovado, por unanimidade, na Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Sorocaba, Projeto de Lei ...

Deixe uma resposta