Home / Notícias / Comissão de Educação visita escolas da Zona Norte com duas realidades distintas

Comissão de Educação visita escolas da Zona Norte com duas realidades distintas

A Comissão de Educação, Juventude e Pessoa Idosa da Câmara de Sorocaba visitou, nesta quinta-feira à tarde, duas escolas municipais localizadas na Zona Norte: Walter Carreteiro e Genny Kalil Milego.

Segundo o vereador e presidente da comissão, Fernando Dini (PMDB), apesar de estarem na mesma região da cidade, as realidades encontradas foram totalmente diferentes. “Enquanto uma clama por melhorias e maior atenção do poder público, a outra está sendo reformada e ganhando estrutura adequada para o ensino dos alunos”, diz.

Na escola Walter Carretero, que abriga alunos do primeiro ao quinto ano do ensino fundamental, foram encontradas duas salas interditadas, com problema na cobertura. Existem telhas quebradas no corredor de acesso a essas salas, deixando passar sol e chuva, ficando alagadas e colocando os alunos em risco.

Há ainda algumas infiltrações em outras salas. “Esses problemas obrigou o remanejamento das crianças para o espaço da biblioteca e da sala de jogos. Ou seja, sem essas duas áreas, elas ficam sem as atividades propostas”, explica Dini.

Outra sala de aula da escola pegou fogo no ano passado. Quase um ano depois ela continua trancada e sem qualquer tipo de reparo ou uso.

O banheiro está com cabines interditadas por problemas hidráulicos, assim como o vestiário da quadra, que ainda não possui qualquer iluminação. “O pátio externo tem diversos buracos no chão e nas grelhas que protegem os canos. Poucos reparos, como os feitos no alambrado, foram pagos com verba própria da escola, segundo os administradores”, lembra o vereador.

Em meio a tantos problemas uma parte boa. Foram instaladas oito câmeras internas, visando coibir o vandalismo. “Aos fins de semana, principalmente, infratores invadiam a escola e quebravam os bens utilizados em prol dos alunos”, ressalta o vereador. “A escola completou apenas 15 anos para estar em uma situação como esta. Só não está pior devido à dedicação dos funcionários.”

Genny – Já na escola Genny Kalil Milego a situação é diferente. Ela atende alunos do pré 1, 2 e ensino fundamental. Foi instalado recentemente instalado um sistema de câmeras interno para evitar a invasão de infratores aos fins de semana.

A cobertura do parquinho da escola foi custeada pela escola com os próprios recursos e seis das 12 salas de aula possuem lousas digitais. “Esse é o quadro que gostaríamos de encontrar em todas as escolas de Sorocaba. Por isso temos de fiscalizar e cobrar”, lembra Fernando Dini.

Um relatório sobre as visitas será elaborado e entregue ao prefeito Antônio Carlos Pannunzio, para que as providências necessárias sejam tomadas. Ainda fazem parte da Comissão de Educação os vereadores Pastor Apolo (PSB) e Rodrigo Manga (PP).

Veja também

Escolas particulares podem receber alunos a partir desta terça (8)

O retorno gradual das aulas presenciais nas escolas particulares de Sorocaba começa nesta terça-feira (8). ...

Deixe uma resposta