Home / Após visita, Dini aponta falta de estrutura e pede melhorias para funcionários do Samu

Após visita, Dini aponta falta de estrutura e pede melhorias para funcionários do Samu

O vereador Fernando Dini (PMDB) esteve visitando a central do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) em Sorocaba e, após constatar a falta de estrutura apontada por denúncias, está solicitando melhores condições para que os funcionários possam desenvolver plenamente as suas funções.

Um dos principais problemas sentidos na visita foi a falta de ar condicionado na sala de regulação médica, onde fica a maioria dos funcionários. “O local onde estão trabalhando é insalubre. A temperatura chega até 38 graus nesses dias que tem feito mais calor. Queremos saber da administração municipal até quando eles serão submetidos a essas condições”, diz o vereador.

A mesma sala ainda apresenta dezenas de avarias que precisam ser reparadas. “Os móveis estão deteriorados, cadeiras sem encostos, geladeira quebrada, lâmpadas queimadas e até o rádio comunicador, que é fundamental para o bom atendimento à saúde da população, está com o funcionamento defeituoso. Alguma medida urgente precisa ser tomada. Aqui é a porta de entrada da saúde pública não só de Sorocaba como da região”, explica.

Os problemas também seguem para o banheiro. O vaso sanitário está rachado e sua válvula desregulada, o lavatório está solto, com risco de queda. Não há papel toalha, sabonete e a limpeza é precária. Quarenta e cinco mulheres dividem esse mesmo espaço, em turnos. “Alguns aparelhos de comunicação estão inoperantes. Há, ainda a baixa de quatro das 13 viaturas e que estão sem qualquer previsão de retorno. A central precisa ter o mínimo de condições para funcionar. Por isso estamos requerendo à prefeitura não só informações como medidas que não sejam paliativas”, cita Dini.

Atribuições gerais – O artigo 1º da Portaria nº 2.657/2004 estabelece as atribuições gerais e específicas das centrais de regulação médica de urgências para a operacionalização do Samu.

Uma sala de equipamentos (área isolada onde devem ficar servidores de rede, central telefônica, no break e estabilizador), banheiros contíguos ou próximos da sala de regulação, área de conforto e alimentação para a equipe, área administrativa com espaço para a coordenação e a equipe de apoio do serviço, refeitório e cozinha; banheiros com chuveiros; e alojamento para repouso das equipes.

“São normas para garantir um tempo de reposta de qualidade e racionalidade na utilização dos recursos móveis. A mesma portaria ainda pede que o Samu regional ou sediado em municípios de grande extensão territorial deve ser em bases operacionais descentralizadas, que funcionarão como postos avançados para as ambulâncias e suas respectivas equipes”, finaliza o vereador.

Veja também

Fernando Dini cobra regulamentação do recesso dos auxiliares de educação no município

Vereador salienta que ausência da norma dificulta organização das creches municipais no recesso escolar Por ...

Deixe uma resposta